Há uma cena em minha cabeça, essa que eu vi hoje. Mas não pretendo contá-la, apenas descrevê-la, que sua beleza é tão explícita! Primeiro, confesso que não sou dessas que preferem ler um livro em sua língua original. Não, eu assumo humildemente que leio as traduções e que minha preferência por literatura brasileira é antes a preferência da língua: gosto do português, como de nenhuma outra.

Mas digo isso por que há um trecho em inglês na cena que vou contar e que não posso mudar –nem quero –sequer traduzi-lo.

Passei pelo escritório, meu marido tocava violão para meu filho. Não é que tocasse violão com meu filho por ali, tocava para ele e com amor nos olhos.

It´s not time to make a change
Just relax and take it easy
You´re still young That´s your fault
There´s so much you have to know
Find a girl, settle down
If you want you can marry
Look at me
I am old but I´m happy