Existiram muitos Silvas, mas essa questão é entre dois: o Silva que ficou e foi esquecido e o Silva que foi e é aclamado.

Os estúpidos defensores do primeiro –que ficou e tomou conta da família e sua fortuna- alegam que ele havia de ser mais aclamado que o segundo,se tivesse partido. Mal sabem eles, que isso justamente é a vida e é como se dissessem que teria sido, não fosse a vida – o que é uma imensa besteira.

Pois o segundo partiu e sofreu as conseqüências da vida partida. Merece, portanto, as glórias que conquistou, entre outras coisas, por ter partido. Mas a miséria esse Silva sofreu e as glórias já de nada lhe valem, pois que está morto. (E as defesas dos estúpidos também de nada valem ao primeiro).

Disse essa história grande, pois hoje resolvi partir. Um dia hei de ser um pobre fracassado ou um pobre grandioso honrado, cujas honras de nada valem, pois o destino dos Silvas há de ser um só.