Sou uma escritora de miudezas, mas diria melhor – e mais verdadeiro (porque nem sempre o melhor é mais verdadeiro) – se dissesse: sou uma pessoa de miudezas. Miudeza é palavra bonita e neste caso talvez eu devesse falar em pequenice. A dor das coisas pequenas é humildade, mas a dor de coisas pequenas é soberba. Hoje, confesso, sinto me humilhada por miudeza, o que quer dizer, lamento, soberba.A humilhação é uma espécie de soberba? Só se sente humilhado quem se atribui uma importância qualquer. Mas eu não afirmaria isso. Não hoje. Hoje não diria nem que sou uma escritora de miudezas, briguei com as palavras. Bufei, Miguel riu, franzindo o nariz na testa e mostrando o dente e meio. Miguel chora quando está com sono ou quando acaba a polenta.