Miguel saiu ao pai. Tem sobretudo os olhos e o jeito manso de Rafael. As mães do parquinho, sempre previsíveis, dizem que trabalhei de bandida.

_Que injustiça, não é? A gente que carrega…

Se é injustiça é das boas, das melhores, que orgulho de mãe é ter filho com os olhos do pai.

_Mas tem meu nariz, eu digo.

E é verdade.