Se soubesse executar um plano, teria escrito um romance. Certa vez me propus a fazê-lo, como uma prova, e não consegui chegar à décima página com honestidade. Sou de insights. Continuo a não cumprir metas, a furar planejamentos, a variar entre o trabalho muito e o pouco trabalho, conforme meu humor. Diria que confundo minha equipe, se tivesse, de fato, construído uma. Revisitei o que disse sobre o fracasso. Ainda não conclui se é uma questão de maturidade, força, gênio ou destinação. Sei que são seis meses e não me concentro mais no que faço. Todas as vezes mudei de emprego com seis meses. Quantas vezes espanto é sinônimo de fraqueza? Contudo – e pode me acusar de conveniência – não acho romance o um gênero maior e arisco me a viver de insights. Romântica, posso apenas cantar o fracasso. Em poucas linhas.